Posted on: 19 de novembro de 2020 Posted by: Teia dos Povos Comments: 1

Seguindo uma tradição que chega à sua oitava edição, a Comunidade Quilombola da Lagoa Grande (distrito de Maria Quitéria, Feira de Santana, Bahia) reaviva a força de suas lutas na comemoração do Novembro Negro.

O aprendizado que só a luta é capaz de produzir – em criatividade, insubordinação, superação e espírito comunitário – mostra a sua cara na reinvenção do evento, que, diante da pandemia da Covid19 e da necessidade de distanciamento físico, acontecerá de forma virtual.

O tema desta VIII edição é Memórias, vivências e resistências da ancestralidade: as águas da Lagoa Grande de São José das Itapororocas”. A lagoa que dá nome à comunidade, e que um dia já foi o seu principal meio de reprodução da vida, estava à beira da morte, após décadas de desrespeito, destruição, cercamentos. Mas, as grandes chuvas deste ano renovaram as lutas da comunidade em torno deste bem comum tão precioso: a ancestralidade quilombola se une à juventude, compartilhando vivências e histórias de luta, e se colocando de mãos dadas, mais uma vez, para proteger as águas da Lagoa Grande de São José das Itapororocas, que voltaram a abrigar os peixes e alegrar a vida.

A programação é também marcada pela intenção de lembrar a importância da união entre a luta indígena e quilombola, em um momento em que são cada vez mais violentos os ataques aos seus insurgentes modos de reproduzir a existência, sempre a confrontar e deixar às claras a lógica mesquinha do sempre-mais-sempre-meu do capital, que desrespeita o vínculo fundamental dos seres humanos com a natureza e o compromisso maior com a vida humana.

Estão previstas atividades que poderão ser acompanhadas tanto “ao vivo”, quanto por vídeos, tudo podendo ser acessado através do canal no Youtube da Associação Quilombola Comunitária de Maria Quitéria – AQCOMAC (https://www.youtube.com/channel/UCqh8lze-gLMjfyIGl0PoNVQ).

No sábado, dia 21, o evento é marcado por um ato em defesa da lagoa, que simbolizará a renovação e mobilização da comunidade em torno da revitalização de suas águas e defesa do seu território (abaixo, a programação completa).

Viva a Comunidade Quilombola de Lagoa Grande!

 

19/11/2020 (quinta)

19:00hMística de abertura
19:20hAbertura
19:30-21:00h  Memórias, vivências e experiências da ancestralidade de São José das Itapororocas” Cacique Juvenal (TEIA dos Povos);Francisco Pereira da Silva (Vei da Quixabeira da Lagoa da Camisa);Edcarlos da Cruz Ferreira (quilombola da Lagoa Grande).
21:00-21:30h  Debate

20/11/2020 (sexta)

14:00Ciranda da negritude
15:00hAcolhimento Cultural Júlia Suzarte e Romildo Alves (Garotinho do Cordel)
15:00-17:00hCine debate: Os guardiões da Lagoa (documentário) Escolas, Comunidade, UEFS
19:00hMomento cultural Camila Anunciação
19:30-20:30hRevivendo e revisitando os temas do Novembro Negro, dos anos 2011 a 2019, da comunidade quilombola da Lagoa Grande. Memórias Vivas: Caciano, Renilda, Maria das Graças, Sandra, José Raimundo, Karen, Girlene, Eduardo, Sônia e Camila
20:30-22:00hMomento cultural

21/11/2020 (sábado)

05:00hAto em defesa da lagoa
A partir das 16:00hQuitandas alimentícias da Lagoa Grande, com a participação de: Acarajé da Tia Sônia Acarajé da Gô Acarajé da Jocélia –Sâo José Beiju da Tia Keu Suzarte Lanches Hambúrguer dos Primos Yakisoba dos Pretos

1 people reacted on this

Deixe uma resposta para O novembro negro e a demarcação do Quilombo da Lagoa Grande – Teia dos Povos Cancelar resposta