Posted on: 21 de setembro de 2020 Posted by: arkx Brasil Comments: 0

estrêla matutina

que no mar foi achada

por Deus foi alumiada

pelos anjos foi acompanhada

seja colocada esta estrêla

em nosso segundo cérebro

com a pandemia chegamos ao ato final de um inescapável processo, já anteriormente em curso: a total e definitiva separação dos mundos.

não haverá retorno. a única rota de fuga é seguir em frente, em direção à construção de um outro futuro.

quem quer passar além do Bojador tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, mas nele é que espelhou o céu. 

há um pólo fascista e paranóico.

incapazes de catarse libertadora, já não podem conter a volúpia pela castração. são aqueles que desejam a morte, clamando por mais tortura, mais mortes, mais chacinas!

como se chega ao ponto de querer a repressão não só para os outros, mas também para si próprio?

há um pólo libertário e transformador.

nós que chamamos por uma nação que ainda não conhecemos, sim, e uma nação que ainda não conhecemos acorrerá a nós.

nós que nos entregamos ao rio revolto de um momento histórico. é este próprio rio que nos acena, vindo ao nosso encontro, atendendo ao nosso chamado.

e nos colocamos em nossa canoinha de nada, nessa água que não para, de longas beiras. e vamos! por que não? nós, rio abaixo, rio a fora, rio a dentro – o rio.      

entre os dois pólos o território das neuroses, onde vagam seus variados distúrbios.

os afetados pela Síndrome do Crepúsculo anseiam voltar para uma casa que já não existe. Édipo já não pode esconder seu desejo mais secreto: arrastar-se de volta para o protetor e aconchegante útero materno.

mas como retornar de uma viagem definitiva? é preciso vir à luz. não há mais saídas. não vamos sair desta crise. nem no plano social, nem no âmbito pessoal.

todos buscam uma saída, mas só é possível distinguir portais de entrada.

ou afundamos através do portal que conduz ao Estado de exceção, materializando alguma forma de neo fascismo.

ou radicalizamos o compromisso com a emancipação e a autonomia, concretizando um conjunto de  movimentos entrelaçados e  autenticamente baseados na organização popular de base.

este é o único portal que pode nos conduzir a algum futuro.

chegou a hora de rejuvenescer. a vida só é bela para os ressuscitados.

que a luz da estrela da revolta nos inspire a todos!

ousar lutar! ousar vencer! somente a luta muda a vida!                                        

salve os encantados. que nos protejam e iluminem nesta travessia.

salve o Infante D. Henrique! salve, salve. salve os argonautas! salve Fernando Pessoa! salve, salve.

salve Ganga Zumba! salve os cabanos, os malês e os balaios! salve, salve.

salve os Tamoios, Aimorés, Potiguares, Tupinambás! salve, salve.

salve Felipe Camarão! salve os Alfaiates e dos Cariris! salve, salve!

salve o Almirante Negro! salve o movimento anarcosindicalista e a Coluna Prestes!

salve Apolônio de Carvalho. salve Lamarca! salve Carlos Marighella! salve, salve.

salve as greves do ABCD! salve as “Diretas Já”! salve Junho de 2013! salve, salve.

salve Tiradentes! salve São Jorge! salve os Encantados! salve o povo que luta! salve o Povo Brasileiro!

vídeo:

Antonio Garcia é um nome próprio de batismo, apesar disto é anônimo nos terabytes de terabytes do Big Data, quase completamente unGoogleable. algumas poucas vezes torna-se nosotros, como arkx, sendo que este nunca é anônimo mas sempre não é um autor.


sobre os Diários da Pandemia:

  • Embora seja tb um trabalho jornalístico, se propõe a muito além disto.
  • Tem como objetivo principal tecer uma rede de comunicação entre as diversas lutas localizadas.
  • De modo a circular as experiências, para serem reciprocamente conhecidas numa retro-alimentação de auto-fortalecimento.
  • Não se trata de tão somente produzir matérias, e sim tornar as matérias instrumento para divulgar conteúdo capaz de impulsionar os movimentos.
  • Em suma: colocar a comunicação a serviço das lutas concretas.

acesse a série completa aqui neste link

.

Leave a Comment