Posted on: 9 de julho de 2020 Posted by: arkx Brasil Comments: 0

Acompanhando a dedicação heróica dos trabalhadores da saúde para proporcionar assistência à população infectada.

À primeira linha: todo nosso apoio, toda nossa solidariedade e toda nossa gratidão!

29/03/2020

A UPA está lotada. Uma circular vinda da Secretaria Municipal de Saúde proibiu que funcionários façam filmagens ou tirem fotos.

O quadro de epidemia aqui é real. Nos grupos de WhatsApp de profissionais da área nos quais participo, o pessoal da área médica, principalmente os socorristas do SAMU, já estão com medo de que faltem leitos.

Já temos casos de COVID-19 positivos internados no Couto Maia. Inclusive um empregado de uma empresa prestadora de serviço na área de limpeza. Eles estão trabalhando sem EPI (Equipamento de Proteção Individual) apropriado. Estão totalmente expostos.

Complicado, véio! Complicado!

Nós temos um imbecil na Presidência da República que ainda estimula o povo a ir prá rua mesmo. E mais um monte de imbecis que se dizem empresários e da classe média, apaixonados pelo imbecil que ora ocupa a cadeira Presidencial, que vão prá rua mesmo!

A TV fala: “Tira Roupa! Deixa fora de casa! Deixa na varanda!’. E quem é como eu, que mora na periferia e não tenho varanda?

Quem puder, compre um daqueles sacos de colocar lixo. Antes de entrar em casa, tire os calçados e coloquem dentro do saco. Vai amenizar e muito o risco de contágio. Vai direto para o banheiro toma um banho. Tira a roupa e põe para lavar.

Eu todo dia lavo os solados do calçado com água sanitária. Minimiza bastante o contágio.

O ato mais revolucionário que podemos fazer neste momento é permanecer vivos e sadios.

Um abraço a todos.

30/03/2020

O que aqui sabemos de concreto é que o número de casos aumentou. E aumentou além do esperado. Estava aumentando de acordo com a curva, numa situação for da normalidade mas ainda controlável.

Na recepção do PA o pessoal está acreditando mesmo naquelas teorias da conspiração, jogadas nas redes subterrâneas que apoiam a estupidez do Presidente da República.

Neste sentido, vamos ter um verdadeiro genocídio da população mais pobre. Invariavelmente ela já morre por falta de atendimento no normal. Imagine numa situação de um surto pandêmico.

As pessoas ainda estão achando que isto é só uma “gripe”. E que Bolsonaro mais Trump vão encontrar a vacina que vai imunizar todo mundo.

O problema é que com o COVID-19 as doenças crônicas se potencializam. E as pessoas morrem. E morrem!

O maior ato de rebeldia que a gente pode fazer no momento é este: ficar em casa.

E depois que a pandemia passar pressionar para mudar. Porque tem que mudar. Vai ter que mudar. Não tem jeito. Os caras vão ter que mudar. Ou a gente vai fazer eles mudarem.

04/04/2020

Antes de começar o turno a coordenação fez uma reunião com todos nós. Foi apresentado um estudo feito pela Universidade Federal da Bahia, indicando que nos bairros periféricos a tendência é o contágio triplicar.

Na periferia as pessoas não estão levando a sério a questão do isolamento social. Ainda estão presas a estes disparos em massa de fake news pelo WhatsApp.

Estão tratando não como uma questão de saúde, mas como uma questão política. Como uma conspiração chinesa: “Comunistas desgraçados. Botaram o vírus e agora não querem nem vender os ventiladores, que eles mesmos fizeram. Prá deixar a gente morrer mesmo!”.

Aqui na emergência, por exemplo agora, na recepção do PA, eu acho que estou vivendo uma distopia.

As pessoas com o aparelho celular na mão. E o comentário é só fake news. E ninguém se preocupa com a prevenção, em ficar em casa…

É uma coisa louca! Tudo isto para proteger a finança do 1%. Surreal!

Estão convencendo o povo a se jogar da ponte, para proteger um dinheiro que foi roubado dele!

Conseguiram convencer o povo a tirar o próprio dinheiro do bolso para dar aos banqueiros, e depois pular sem paraquedas do avião.

Fazem aqui uma reunião apresentando um estudo indicando que o contágio vai triplicar, e a mensagem subentendida é: “Preparem-se. Vamos ter que escolher aqueles em pior estado para atender!”.

15/04/2020

Aff… Cansado pacas…

Hoje foi o pior dia, estou esgotado e o plantão não terminou… Das 7h da manhã até agora 26 casos suspeitos. 14 positivos e 12 aguardando confirmação.

Hoje pelo menos foi um alento, a Guarda Municipal e a PM conseguiram afastar o grupo de orações. Orações são sempre bem vindas, ainda mais num momento como esse, mas faz a oração de casa. Deus é onipotente, onipresente e onisciente.

Indo orar nos PA não adianta muito, só atrapalha. Ainda mais quando a oração por vezes tem um cunho político.

É cansativo sabe? Você acordar as 4h40, correr pra pegar o ônibus de 5h20, para estar no PA às 7h, para cuidar do outro, lutando contra um inimigo invisível e ainda ter resistência de pessoas que seguem cegamente um pseudo-líder dizendo o contrário, chega a ser desanimador.

Essa corja – só posso chama-los assim, corja – que vive insuflando o povo para sair do isolamento social, visando apenas os seus lucros, jamais saberão o que é se doar pro outro.

Jamais.

Estou com uma imagem na cabeça até hoje. Tenho 10 anos na área, já vi crise asmática, crise de BK (tuberculose), gangrena e etc… Mas uma crise de Covid-19 é algo surreal! Estabilizar paciente com falta de ar provocada pelo Covid-19, com pouco recursos, chega a ser uma ato de heroísmo.

Se eu não tivesse visto ao vivo e em cores, certamente eu diria que era uma fake news…

É assustador ver uma pessoa se debatendo procurando ar. Vi isso de perto.

Agora imagine vc, 2 ou 3 atendimentos nas mesmas condições no mesmo dia? Isso tudo com familiares gritando na recepção pra dar cloroquina, e os cambaus a quatro?

Trabalhar assim é duro… E como…

Já me deu vontade de chorar, sabe? Me deu vontade de chorar muito mais pela manipulação que estão fazendo no povo com esse negócio de cloroquina.

Gente, acabou o descanso… Chegou um baleado aqui.

Em Camaçari a Prefeitura acionou a PM para acabar com festas acontecendo em chácaras.

04/07/2020

No início, quando tive logo positivo para o exame de COVID-19, eu não estava sentindo nada, era assintomático. Até que no 12o. dia comecei a sentir uma dor de cabeça e uma febre alta.

Após 9 dias não tinha mais dor de cabeça, mas a febre continuou junto com uma tosse seca. E comecei a sentir a dispnéia, uma falta de ar terrível.

Ela começou leve e depois foi se agravando. Fui para o posto de saúde. E fiquei internado. Por 12 dias. Fiz o tratamento com corticóides e anti-coagulante. E quando fiz a tomografia já apresentava uma leve fibrose pulmonar.

Mesmo agora recuperado, a fibrose ficou permanente. Mas o acompanhamento médico com pneumologistas e infectologistas, a quem gostaria muito de agradecer e também aos médicos aqui do meu trabalho, acusou que a fibrose afetou uma área de não vai afetar o funcionamento do pulmão atingido.

Voltei a trabalhar. Mas não no setor de emergência, que é onde eu gosto.

A unidade onde estou trabalhando está com 85% dos leitos ocupados. O prefeito decretou mais 15 dias de lockdown.

As pessoas não se conscientizaram e parecem estar vivendo um transe. Tem gente até na recepção dizendo que tem que abrir tudo. Tem gente que acredita nas fake news dos grupos do WhatsApp, que o governador e o prefeito aumentam o número de mortes para receber o dinheiro federal e fazer corrupção.

Então esta politização da doença, que é uma doença séria, deixa as pessoas descrentes da gravidade dela.

A preocupação é que pessoas que agora estão vindo a óbito estão fora do grupos de risco, aqueles portadores de comorbidade crônica. Aqui na rua onde eu moro da mesma família morreram duas pessoas. Todas duas testaram positivo para COVID. E todas duas estavam internadas na rede particular.

A tendência é que chegue ao colapso total, com 100% das UTI ocupadas. O prefeito de Itabuna deu um pronunciamento que “morra quem morrer” o comércio vai abrir.

05/07/2020

Eu penso que a gente deveria montar uma rede com mais relatos destes, de gente do povo.

Eu tenho contato aqui com o povão, galera mais humilde. Aqui na comunidade onde eu moro, se você chegar com uma linguagem mais rebuscada as pessoas não dão atenção e se afastam.

Pretendia ver algo mais popular, mais corpo a corpo, que dê vazão ao pedreiro, ao eletricista, a diarista, o cara que limpa a calçada, o cara que trabalha no caminhão da limpeza urbana. ë essa a galera que gente precisa dar ouvidos.

O real, o concreto é aquilo que está acontecendo, que está efervescente na nossa sociedade, a gente praticamente não tem acesso. A gente invisibiliza o povão.

E esta foi a derrocada da Esquerda, a partir do momento que ela não conseguiu dialogar com o povo.

07/07/2020

São 5h47 da manhã, como estou fora do setor que gosto de trabalhar que é a emergência, fico apenas “namorando” a recepção do setor. Confesso que me bate uma saudade sabe? Da agitação, da correria, dos múltiplos casos diferentes de uma só vez.

Mesmo à distância, fico a observar a recepção e as mesmas reivindicações em relação a Cloroquina, Hidroxicloroquina, Azitromicina e Ivermectina acontecem. Agora esses medicamentos são difundidos via rede subterrânea como medicamentos preventivos. É um absurdo.

As pessoas estão tomando essas medicações sem ao menos ter idéia das reações que ele pode provocar… É uma loucura! Que transe é esse?

Quando estive internado, os médicos tentaram administrar a hidroxicloroquina, porém ela causou um leve aumento da minha pressão arterial, mesmo ajustando a dosagem, em mim, ela se tornou ineficaz.

Tive supervisão médica. Fora isso, eu poderia ter infartado.

A idéia que temos é de que esses remédios estão sendo difundidos para uma espécie de reconforto, validando a loucura do presidente.

Se você pegar a doença, esses remédios vão te curar. Ou aquela coisa de: tome esses remédios aqui e fique imune.

Parece o seguinte: saia mesmo, vá pra rua, vá trabalhar!

Neguinho Poeta
Trabalhador na área de saúde em Salvador, com atuação profissional na periferia, poeta e compositor, morador em bairro popular. Usa pseudônimo por questão de segurança no tocante às condições de trabalho


sobre os Diários da Pandemia:

  • Embora seja tb um trabalho jornalístico, se propõe a muito além disto.
  • Tem como objetivo principal tecer uma rede de comunicação entre as diversas lutas localizadas.
  • De modo a circular as experiências, para serem reciprocamente conhecidas numa retro-alimentação de auto-fortalecimento.
  • Não se trata de tão somente produzir matérias, e sim tornar as matérias instrumento para divulgar conteúdo capaz de impulsionar os movimentos.
  • Em suma: colocar a comunicação a serviço das lutas concretas.

ver também em Diários da Pandemia:

Diários da Pandemia: na linha de frente – Alto Xingu

Wesley Teixeira – Movimenta Caxias (RJ)

Opetahra e a ressurgência do Povo Puri

Luciene Silva e a Rede de Mães da Baixada Fluminense (RJ)

“Sim! Eu Sou do Meio” – Belford Roxo (RJ)

junto ao Povo da Rua no Rio de Janeiro (RJ) – 02

na tríplice fronteira Norte (Brasil-Colômbia-Peru) (AM)

KM 32 – na profundidade da periferia – 02

na linha de frente – Salvador (BA)

Morro do Sossego, Duque de Caxias (RJ) – 02

.

Leave a Comment