Posted on: 28 de julho de 2020 Posted by: arkx Brasil Comments: 1

A luta por autonomia, emancipação e liberdade e pela transformação territorial em Belford Roxo (RJ): Sim! Eu Sou do Meio.

Sim! Eu Sou do Meio” (SESM) no contexto da PANDEMIA em Belford Roxo!

Desde de março, estamos mobilizando esforços para atender as mulheres que estão diretamente ligadas ao projeto, e mulheres de Belford Roxo que chefiam seus lares com alimentação, material de higiene, limpeza, frutas e legumes, neste período de distanciamento social.

Isto porque, várias mulheres que fazem parte do projeto e do território que atuavam em postos de trabalho como: diaristas, ambulantes, vendedoras de bala e catadoras de material reciclável e tiveram perdas vertiginosas dos seus ganhos que eram para garantir a alimentação e sustento de seus filhos.

Atuamos em um território de famílias muito numerosas, e todas as crianças estão em casa, sem acesso à educação e alimentação.

O governo municipal já declarou que não há verbas para garantir as cestas básicas para os alunos como alguns municípios da Baixada estão fazendo.

Com apoio de alguns parceiros como: União Rio (Instituto PHI, EKLOOS, Banco da Providência), Criola, Viva Rio, Conexão Solidária, Atados, Casa Fluminense, Fazedores do Bem/Active Citizens, Rede Ecológica, MST/Baixada e várias pessoas que se solidarizaram com a nossa causa, vem nos possibilitando desde março, apoiar majoritariamente mulheres, idosos e autônomos a terem o que comer, doamos até aqui mais de 3.500 cestas básicas e material de limpeza.

Com ajuda de parceiros fomos a bairros de extrema vulnerabilidade como: Sem Terra de Santa Maria, Deserto do Babi e Santa Teresa, bairro Calundu. Onde nos deparamos com mulheres tomando caldinho “água, fubá e sal” e alimentando seus filhos com isso e roçando mato para sobreviver.

Mais infelizmente diante do caos que estamos enfrentando, na periferia da periferia da Baixada Fluminense chamada Belford Roxo, temos uma lista de espera de mais 3.500 famílias aguardando a oportunidade de serem chamadas para receberem alimentos.

A Baixada Fluminense é invisibilizada sem o contexto do Covid-19, agora estamos literalmente esquecidos, entregues a morte por não termos hospitais e as mortes pelo Covid-19 só aumentam, segundo dados oficiais da saúde do município de Belford Roxo já ultrapassamos 170 mortes e quase 1.500 casos notificados, fora os casos subnotificados.

Com a flexibilização do comércio, estes dados “pessoas” tende a aumentar.

Realizamos uma caminhada de conscientização no Centro do município, “Sim! Eu me importo”, onde entregamos 4mil máscaras e mais de 100 vidros de álcool em gel para as pessoas que estavam no Centro e no comércio no dia 12/06.

A palavra de ordem do SESM é não morrer de FOME e nem de Covid-19, pois não temos hospitais para atender a grande demanda.

Além disso, montamos uma equipe que se mobilizou para atuar também na perspectiva de garantia do direito ao Benefício Emergencial Federal, pois no território temos muitas pessoas que não tem acesso a um smartphone, ou seja, sem número de telefone, lembrando que só poderia ser um por inscrição, e muito menos internet, que não tem conhecimento da tecnologia, analfabetos e que não sabiam por onde seguir e pedir ajuda.

Pois no momento em que os CRAS do município deveriam estar abertos para serem referencial desta população que sofrem com a falta acesso, eles simplesmente FECHARAM deixando a população

mais vulnerável a própria sorte.

Muitas pessoas tiveram seus benefícios negados e outros nem cadastro fizeram, muitos foram enganados por pessoas desumanas que roubaram seus benefícios, e o nosso município não deu suporte de forma efetiva.

Precisamos muito de toda a ajuda e visibilidade, pois Belford Roxo tem mais de 500 mil habitantes e o CEP do emprego não é aqui, pois somos classificados como cidade dormitório, a maioria da população está no subemprego ou literalmente sem renda. Lembrando que fomos impedidos de acessar o Centro das “oportunidades” Rio de Janeiro/Zona Sul, pois a viagem intermunicipal foram permitidas apenas para trabalhos essenciais a manutenção da vida, para não fazer o vírus circular.

Essa epidemia veio escancarar as desigualdades sociais e a falta de oportunidade e de Políticas Públicas na Baixada Fluminense.

Precisamos apoiar mais mulheres e idosos, junte-se a nós neste corrente do bem, infelizmente as doações estão acabando, e o vírus está aí com presença maciça nas ruas e em muitas casas da Baixada!

SIM! EU ME IMPORTO, E VOCÊ??

O Programa Social Sim! Eu Sou do Meio (SESM) é um coletivo que desde a formação do Active Citizens através do Conselho Britânico em 2018, atua em Belford Roxo com famílias em vulnerabilidade e extrema vulnerabilidade social.

As nossas atividades são destinadas a crianças, adolescentes/jovens e mulheres e são:

Esporte: jiu jitsu e capoeira

Cultura: ballet, hip hop e teatro

Educação: reforço escolar, laboratório de projetos com jovens (LabSesm)

Atendimentos com: psicóloga, psicopedagoga e nutricionista

Roda de Conversa: +Mulher Sesm, trabalhamos no enfrentamento ao combate a violência doméstica e institucional no território.

Grupo de Trabalho álcool e outras drogas: Trabalhamos no enfrentamento através pesquisa e atendimento ao uso abusivo de álcool e outras drogas que tanto destroem muitas famílias.

Todas as atividades são voltadas para desenvolver autonomia, emancipação e liberdade a todos que são alvos das nossas ações, com o objetivo de transformação territorial e multiplicação de boas ações em outros bairros do município.

Débora Silva

coordenadora geral do Sim! Eu Sou do Meio” (SESM).

vídeo:


sobre os Diários da Pandemia:

  • Embora seja tb um trabalho jornalístico, se propõe a muito além disto.
  • Tem como objetivo principal tecer uma rede de comunicação entre as diversas lutas localizadas.
  • De modo a circular as experiências, para serem reciprocamente conhecidas numa retro-alimentação de auto-fortalecimento.
  • Não se trata de tão somente produzir matérias, e sim tornar as matérias instrumento para divulgar conteúdo capaz de impulsionar os movimentos.
  • Em suma: colocar a comunicação a serviço das lutas concretas.

ver também em Diários da Pandemia:

Movimento Unido dos Camelôs – MUCA-RJ

na linha de frente – Alto Xingu

Wesley Teixeira – Movimenta Caxias (RJ)

Opetahra e a ressurgência do Povo Puri

Luciene Silva e a Rede de Mães da Baixada Fluminense (RJ)

“Sim! Eu Sou do Meio” – Belford Roxo (RJ)

junto ao Povo da Rua no Rio de Janeiro (RJ) – 02

na tríplice fronteira Norte (Brasil-Colômbia-Peru) (AM)

KM 32 – na profundidade da periferia – 02

na linha de frente – Salvador (BA)

Morro do Sossego, Duque de Caxias (RJ) – 02

.

1 people reacted on this

Leave a Comment